A mama tuberosa, é uma anomalia congénita rara que se manifesta durante o desenvolvimento mamário na adolescência.

As alterações típicas são:


  • - base de implantação da mama de menores dimensões;

  • - tecido mamário hipoplásico ou deficiente e o que existe, localiza-se maioritariamente por detrás da areola e mamilo alargando estas estruturas;

  • sulco inframamário elevado e o polo inferior da mama, que geralmente é arredondado e cheio está deficitário nas suas dimensões horizontais e verticais.
A causa desta anomalia é desconhecida mas pensa-se que terá origem numa espécie de “colar” ou anel, que provoca a constrição da mama e afeta o seu desenvolvimento.
Esta “falta” de tecido na mama, resulta numa aparência estranha a relembrar uma “batata” – em inglês, “potato-like” breast – e designa-se MAMA TUBEROSA.

Na adolescência esta anomalia torna-se evidente e pode conduzir a desequilíbrio psicológico.

As técnicas empregues para a correção destas alterações são diversas, contudo, todas visam:


  • - restaurar as dimensões da base de implantação da mama;

  • - corrigir a hipoplasia dos quadrantes inferiores da mama;

  • - libertar o sulco inframamário e colocá-lo em posição normal;

  • diminuir as dimensões da areola mamária e melhorar a simetria mamária o mais possível.
A fase da vida em que estas correções se realizam é crucial, pois, numa idade muito jovem, quando a mama ainda não está desenvolvida, podem causar prejuízos no seu futuro desenvolvimento.

Faça a sua marcação de consulta aqui.