Mamoplastia de Aumento
ou Aumento Mamário

A cirurgia de aumento mamário aumenta ou recupera o tamanho da mama, recorrendo ao implante (gel de silicone), ou nalguns casos à transferência de gordura da paciente (ver mamoplastia de aumento com auto-enxerto de gordura), de outro local para a mama.
Actualmente é uma das técnicas de cirurgia plástica mais procuradas pelas mulheres por variadas razões:

• Melhorar o contorno corporal, quando a mulher sente que o tamanho do seu peito é pequeno ou insuficiente;

• Restaurar o volume mamário após uma perda significativa de peso ou na sequência de uma gravidez;

• Alcançar a simetria mamária, quando se verifica uma desproporção nas características da mama (tamanho e forma);

• Melhorar a forma da mama que está pendente ou perdeu firmeza. Nestes casos, associa-se um procedimento de “Lift” ou levantamento da mama (mastopexia);

• Melhorar o contorno da mama quando este fica alterado na sequência do tratamento cirúrgico por cancro da mama;

• Melhorar a aparência da mama quando esta se apresenta desfigurada no contexto de um traumatismo (queimadura, acidente), causas hereditárias ou anomalias congénitas.


Mamografia de Aumento | Técnicas

Mamoplastia de Aumento com Auto-enxerto de Gordura

Em casos seleccionados é possível aumentar modestamente o volume mamário unicamente com a própria gordura da paciente. Nesta técnica, a gordura é aspirada tal como na lipoaspiração e, depois é processada e reaplicada na paciente, na região mamária. Mesmo como um procedimento de refinamento, para melhorar o aspecto estético final da mama depois de submetida a outra intervenção (mamoplastia de aumento, mastopexia ou até mesmo redução) o auto-enxerto de gordura na mama é uma técnica muito útil e com resultados muito satisfatórios.

Revisão de Mamoplastia de Aumento

Quando uma cirurgia de aumento mamário não conduz aos resultados pretendidos, pode ser necessário um procedimento de revisão. Os problemas principais que motivam a cirurgia de revisão são: “rippling” ou o enrugamento do implante debaixo da pele, descida do implante para além do contorno inferior da mama, simastia ou ausência de um limite bem definido entre uma mama e outra; insatisfação com o tamanho ou a forma. A cirurgia de revisão da mamoplastia de aumento é, em regra, um procedimento muito mais complexo que a cirurgia de aumento inicial. Para tal é fundamental compreender quais as preocupações da paciente e posteriormente elaborar um plano de tratamento que pode envolver uma ou mais etapas.

Cirurgia de Revisão de Mamoplastia de Aumento com Strattice TM/Alloderm®

A cirurgia de revisão é realizada quando a paciente procura a correcção de um problema cirúrgico sendo os problemas principais que motivam este procedimento o “rippling” ou o enrugamento do implante debaixo da pele, a descida do implante para além do contorno inferior da mama, a simastia ou ausência de um limite bem definido entre uma mama e outra; a má posição do sulco infra mamário ou insatisfação com o tamanho ou a forma finais da mama. Uma matrix de derme acelular (Acellular Dermal Tissue Matrix) tal como o Strattice TM ou o Alloderme® podem ser usadas para corrigir estas alterações. Muitas vezes estas matrizes podem ter indicação também nas cirurgias de aumento e levantamento ou “Lift” da mama. Um plano de tratamento personalizado que vai de encontro as necessidades individuais de cada paciente e de cada caso é essencial nestas intervenções mais complexas.

Correcção da Contratura Capsular

A contratura capsular pode dever-se a variados motivos, no entanto o denominador comum em todos os casos é o desenvolvimento de um tecido cicatricial ou uma extensa cicatriz em redor do implante, causando endurecimento, desvio do implante (má posição) e muitas vezes dor. Independentemente da causa, a solução passa por remover toda ou quase toda a cápsula (tecido cicatricial), colocação de um novo implante e, por vezes, revisão da “bolsa” ou cavidade do implante com a aplicação de uma matriz de derme acelular tal como o Strattice TM ou o Alloderme®.

Mama Tuberosa + ou “Snoopy Breast"

Anomalia congénita rara que se manifesta durante o desenvolvimento mamário na adolescência. As alterações típicas são: base de implantação da mama de menores dimensões; tecido mamário hipoplásico ou deficiente e o que existe, localiza-se maioritariamente por detrás da areola e mamilo alargando estas estruturas; sulco inframamário elevado e o polo inferior da mama, que geralmente é arredondado e cheio está deficitário nas suas dimensões horizontais e verticais. A causa desta anomalia é desconhecida mas pensa-se que terá origem numa espécie de “colar”ou anel, que provoca a constrição da mama e afeta o seu desenvolvimento.Esta “falta” de tecido na mama resulta numa aparência estranha a relembrar uma “batata” – em inglês, “potato-like” breast – e designa-se MAMA TUBEROSA. Na adolescência esta anomalia torna-se evidente e pode conduzir a desequilíbrio psicológico. As técnicas empregues para a correção destas alterações são diversas, contudo, todas visam: restaurar as dimensões da base de implantação da mama, corrigir a hipoplasia dos quadrantes inferiores da mama, libertar o sulco inframamário e colocá-lo em posição normal, diminuir as dimensões da areola mamária e melhorar a simetria mamária o mais possível. A fase da vida em que estas correções se realizam é crucial, pois, numa idade muito jovem, quando a mama ainda não está desenvolvida, podem causar prejuízos no seu futuro desenvolvimento.

Mamoplastia de Aumento com Mastopexia (“Lift” da Mama)

Este é um procedimento procurado por mulheres que desejam melhorar a firmeza da mama reduzindo a pele em excesso, melhorar a posição dos mamilos e, em simultâneo, aumentar o volume da mama com um implante. As pacientes que procuram esta cirurgia combinada têm em regra, mamas pequenas com excesso de pele e uma aparência “esvaziada”. Este é obviamente, um procedimento mais complexo que o simples aumento mamário.

DÚVIDAS, PREÇOS E OUTRAS INFORMAÇÕES