7 Grandes Mitos Sobre Fillers na Face

1 – Os “fillers” são o mesmo que “botox”
Muitas pessoas confundem o ácido hialurónico ou outros “fillers” com o “botox”. São tratamentos completamente diferentes e com objetivos e resultados também distintos.  O preenchimento facial com ácido hialurónico permite melhorar depressões no rosto (grandes sulcos, rugas profundas), permite recuperar volume perdido e hidratar a pele.

É um dos melhores hidratantes que existem e quando devidamente aplicado, é um potente estimulador da nossa pele, minimizando as rugas finas e melhorando a luminosidade.

A toxina botulínica, conhecida por “botox”, que é o nome de uma das suas formas de apresentação, atua como relaxante muscular, aliviando as rugas e prevenindo o seu aparecimento. Não vai acrescentar nenhum volume à zona tratada e pode usar-se para complementar os resultados dos preenchimentos faciais.

2 – Se eu fizer um “filler” toda a gente vai saber!
Falso. A ideia de que estes tratamentos vão causar deformações no rosto, vão provocar um grande inchaço e muitas nodoas negras deve ser abandonada. É possível, e além disso, é muito frequente, fazer tratamentos com ácido hialurónico sem deixar uma única marca!

Dependendo do objetivo, podemos trabalhar o rosto de diferentes formas: apenas hidratação, correcção suave de pequenos volumes ou redefinir formas e o contorno do rosto. Estes tratamentos devem ser realizados com tranquilidade, gradualmente e em pequenas quantidades, para não gerar nenhum tipo de desconforto na paciente.

3 – O tratamento de rosto com os “fillers” ou o “botox” é muito doloroso!
Erradíssimo. Todos estes tratamentos devem ser realizados depois de uma preparação prévia do rosto. Só assim, depois de aplicada anestesia tópica e com muita tranquilidade é que se deve iniciar o plano de tratamento. Normalmente esse receio desaparece com a primeira experiência.

4 – Não vou conseguir mexer o rosto depois de um tratamento
Falso. Os tratamentos faciais com ácido hialurónico não vão interferir com a mímica facial. Vai continuar a movimentar o rosto como sempre fez, a única diferença vai ser a melhoria das rugas, da pele e da luminosidade.

Mesmo o tratamento com a toxina botulínica, vulgarmente denominada “botox”, vai simplesmente aliviar a contracção muscular que está na base das rugas profundas da testa. Pode fazer toxina e manter sempre algum movimento desta zona. Depende da vontade de cada um.

5 – Uma vez começando estes tratamentos, vou ficar viciada e não conseguirei parar. Se para fico deformada.
Nada podia ser mais errado. Estes tratamentos existem para melhorar, reequilibrar o nosso rosto e dentro de 4 a 6 meses, quer o “botox” quer o ácido hialurónico aplicado deixam de existir onde foram colocados. Mas isso não quer dizer que o efeito vá desaparecer ou que o rosto vá ficar pior.

Pelo contrário. O ácido hialurónico é um estimulador da pele. E a sua ação vai sentir-se ao longo do tempo. Nunca voltamos ao ponto zero, ou seja, o benefício que aquela pele teve depois do tratamento efetuado não vai desparecer (a pele está mais firme e mais elástica).

Obviamente o volume gerado pela presença do ácido vai diminuir, mas não volta totalmente atrás. Quanto ao efeito do “botox”, o que se vai perceber é o retorno gradual das rugas.

Com os tratamentos continuados, a frequência de aplicação vai diminuindo porque o musculo deixa de ser tão estimulado. Se fizer uma aplicação de “botox” e não repetir não vai ficar pior do que o que estava, quando muito ficará igual.

6 – Não preciso de fazer estes tratamentos com um médico. Posso tratar-me num spa ou noutro espaço de beleza.
Falso. Estes tratamentos devem ser realizados por médicos, qualificados e experientes. À semelhança de outro tipo de intervenções médicas, também estes procedimentos podem dar lugar a complicações e efeitos adversos. Quando realizadas por médicos qualificados, a percentagem de problemas é extremamente reduzida.

7 – Não é possível reverter o tratamento!
Errado. O preenchimento com ácido hialurónico tem múltiplas vantagens, além de ser perfeitamente compatível com o nosso organismo, pode ser eliminado se assim for pretendido. Quando aplicado em pequenas quantidades e de forma gradual, ao longo do tempo, esta necessidade de eliminar o filler praticamente não existe.

Mas saber que podemos fazê-lo é mais um motivo para que estes tratamentos sejam realizados com tranquilidade.
O preenchimento facial é uma opção não cirúrgica de eleição para interferir positivamente no processo do envelhecimento, quer seja numa fase inicial para prevenir os primeiros sinais, quer depois, para ajudar a amenizar as alterações já instaladas.

Curiosidades:
- Entre os homens, há cada vez mais adeptos destes tratamentos faciais! Já não é tabu um homem preocupar-se em manter a boa aparência à medida que os anos passam!

- Os “fillers” estimulam a produção de colagénio na pele, logo precisamos de menos tratamentos numa fase avançada do que no inicio, quando começamos.

- Além do rosto, também o decote e as mãos evidenciam os efeitos do envelhecimento, por isso, o tratamento destas regiões é possível com os fillers e com grandes resultados.

- A queda dos lóbulos das orelhas (onde pomos os brincos) pode ser melhorada com “fillers”.
LIGAR AGORA
INFORMAÇÕES
MARCAÇÕES