FAQ Aumento Mamário – Dra Ana Silva Guerra

AUMENTO MAMÁRIO

A cirurgia de aumento mamário aumenta ou recupera o tamanho da mama, recorrendo ao implante (gel de silicone), ou nalguns casos à transferência de gordura da paciente (ver mamoplastia de aumento com auto-enxerto de gordura), de outro local para a mama.

Perguntas Frequentes

1

A mama com implante é muito diferente ao toque?

O toque da mama sem implante é uma sensação única e impossível de mimetizar. O implante introduz, obviamente alterações, no entanto, a sensação ao toque é muito semelhante ao de uma mama natural. A mama fica discretamente mais firme e tonificada.

2

A areola e do mamilo sofrem alterações no que respeita à sensibilidade?

Qualquer cirurgia mamária pode interferir com a sensibilidade da areola e mamilo. O aumento mamário não é exceção, mas é importante perceber que o tempo se encarrega de recuperar praticamente a totalidade da sensibilidade alterada ou perdida.

3

Poderei amamentar no futuro?

É verdade que mulheres que nunca operadas experienciam dificuldades na amamentação. Também é verdade que muitas mulheres operadas amamentaram com sucesso. Uma cirurgia pode ser um fator agravante, mas não é impeditivo. O mais importante é poder contar com uma equipa médica experiente para ajudar a solucionar os pequenos problemas que possam surgir e se a vontade for amamentar, certamente irá acontecer.

4

O aumento mamário interfere com o diagnostico de cancro da mama?

Existem técnicas especiais para avaliar a mama com implante, em toda a sua extensão. Cumprindo a rotina da vigilância da mama, o risco de cancro da mama, numa mama com implantes, não esta aumentado. Sempre que há uma cirurgia mamária, o historial da doente deve ser analisado e exames complementares mamários devem ser feitos, caso os mais recentes tenham mais de 6 meses.

5

A gordura da própria paciente pode ser suficiente para aumentar a mama?

Em casos selecionados, é possível usar a gordura da própria paciente para aumentar a mama. A gordura é transferida das regiões onde mais desfavorece o contorno corporal para a mama. Parte desta gordura não sobreviverá, mas a que ficar, permanece ao longo do tempo. Se é ou não suficiente, só com a analise do caso individualmente poderemos saber.

6

Como é o pós operatório?

O aumento mamário não esta associado a grande incapacidade no período imediatamente a seguir à cirurgia. As restrições mais importantes estão relacionadas com o movimento dos braços e com a pratica de exercício físico. Passadas as duas primeiras semanas, a vida torna-se bem mais simples. Só devemos manter a restrição do ginásio até ao fim do segundo mês de pós operatório.


Importante

Qualquer cirurgia mamária deve ser antecedida de um estudo exaustivo da mama (ecografia mamária e mamografia, no mínimo). É importante dar conhecimento à Dra. Ana Silva Guerra do seu historial clinico, designadamente, do que respeita a mama. Deve informar a Dra. Ana Silva Guerra de eventuais intervenções que tenha feito na mama (biópsias, punções) bem como de todo o seguimento prévio que já foi feito e atitudes clinicas que tenham sido tomadas. A historia familiar de doenças da Mama é especialmente importante neste contexto (doenças de familiares em 1º e 2º grau). Achados mamográficos suspeitos (nódulos, massas) são contraindicações para a realização desta cirurgia.

Dúvidas?

Coloque as suas questões.

echo '
LIGAR AGORA
INFORMAÇÕES
MARCAÇÕES
';