Tratamentos à Mama

 
 
Conheça aqui todas as intervenções e procedimentos que pode fazer à Mama na clínica da Drª. Ana Silva Guerra em Lisboa. Seja qual for a natureza do seu problema, nós estamos aqui para cuidar de si! Sejam problemas do foro reconstrutivo ou do foro estético, nós temos a solução para si. Contacte-nos e peça mais informações!
 
 

Intervenções Cirúrgicas à Mama

 
 
 
 
Aumento Mamário com Implante
 
 
 

Aumento Mamário com Implante

 
A mamoplastia de aumento permite aumentar o volume mamário, melhorar o contorno e preencher a região mamária à custa da presença de um implante. É uma cirurgia realizada em regime de ambulatório, com pouco mais de uma hora de duração, sem necessidade de colocação de drenos. Tem um impacto profundo na autoestima da mulher e o resultado é muito gratificante.
 
 
 
 
 
Aumento Mamário com Gordura
 
 
 

Aumento Mamário com Gordura

 
Nem sempre é necessário recorrer ao implante mamário para melhorar as caraterísticas da mama feminina (volume, contorno, projeção). Nas mulheres com disponibilidade de tecido adiposo, é possível aumentar a mama com recurso apenas ao autotransplante de gordura. Normalmente, realizada em regime de ambulatório, esta cirurgia associa-se a cicatrizes mínimas que se relacionam com a colheita da gordura. Na mama não há cicatrizes nem são colocados drenos. O resultado, uma vez estabilizado, é definitivo, sem necessidade de cirurgias de revisão.
 
 
 
 
 
Redução Mamária
 
 
 

Redução Mamária

 
A redução mamária continua a ser uma das intervenções mamárias mais procuradas. O alívio sintomático e a melhoria da qualidade de vida da mulher são dramáticos. Muitas vezes, a perda de peso pretendida, só acontece quando se alivia o peso e o volume da mama, porque a liberdade de movimentos que daí advém é um estímulo poderoso para uma mudança de vida. As cicatrizes são o reverso da medalha, mas, bem cuidadas e acompanhadas, tornam-se insignificantes face ao enorme benefício conseguido.
 
 
 
 
 
Lift Mamário
 
 
 

Lift Mamário ou Mastopexia

 

(com implantes e sem implantes)

 
A mastopexia tem como objetivo corrigir o excesso de pele da mama que a faz ficar flácida, caída e sem projeção. A necessidade de colocar, no mesmo procedimento, um implante mamário, surge quando a mama, além de ptótica, caída, está esvaziada, sem conteúdo suficiente para se conseguir um bom resultado cirúrgico. Quando a mama ainda tem tecido suficiente, é possível obter um formato natural com volume adequado, sem recurso ao implante. As cicatrizes da mastopexia podem variar, porém, quanto maior a pele em excesso, maior será a dimensão das mesmas.
 
 
 
 
 
Assimetria Mamária
 
 
 

Assimetria Mamária

 
A assimetria mamária é um motivo comum de baixa autoestima e falta de confiança. As diferenças entre as mamas podem ser de vários tipos (uma mama maior que outra, as duas grandes e ainda assim diferentes, formatos totalmente dispares quer da areola quer da implantação da mama, entre muitas outras alterações). A abordagem cirúrgica é especifica para cada caso. As técnicas não diferem das que são usadas nas diferentes cirurgias mamárias, porém, são combinadas para que se consiga o melhor resultado. O impacto da intervenção é dramático, sobretudo quando a intervenção ocorre numa fase precoce da vida da mulher.
 
 
 
 
 
Mama Tuberosa
 
 
 

Mama Tuberosa

 
Uma das deformidades mamárias mais desafiantes do ponto de vista corretivo. O espectro das manifestações clínicas é vasto, mas nos casos mais graves, a deformidade é notável. Tipicamente estão presentes todos os elementos da mama, contudo a sua inter-relação e organização está significativamente alterada contribuindo para uma aparência anormal. As características mais determinantes desta patologia são: um diâmetro da base da mama reduzido, um sulco inframamário anormalmente elevado condicionando um grau variável de constrição, como se a mama estivesse estrangulada e o volume concentrado na porção mais distal, atrás da areola que se apresenta muito alargada. A assimetria mamaria está quase sempre presente, sendo a mama mais gravemente afetada a que, normalmente, tem menor dimensão e a outra, mais desenvolvida é mais volumosa e significativamente mais caída.
 
 
 
 
 
Explante Mamário
 
 
 

Explante Mamário

 
São cada vez mais os casos de mulheres que, pelos mais diversos motivos, pretendem remover sem substituir, os implantes mamários. Ao longo dos anos, o peso dos implantes (sobretudo quando são grandes) pode agravar ainda mais o envelhecimento da mama e a mulher pode rejuvenescer o peito, removendo-os e reposicionando a mama. Cirurgia mamária num contexto patológico (cancro, lesões mamárias suspeitas), contratura capsular, rutura do implante são outras razões que podem estar na base do explante mamário. O Linfoma anaplásico de células gigantes associado aos implantes mamários, um linfoma raro do sistema imunológico associado à cápsula fibrosa do implante é tratado, quando diagnosticado precocemente, através da remoção do implante e da respetiva cápsula.
 
 
 
 
 
Mama Masculina
 
 
 

Mama Masculina/Ginecomastia

 
A ginecomastia é o aumento benigno, temporário ou permanente da glândula mamária no homem. Ao contrário da mulher, no homem o desenvolvimento da glandular não acontece, assim, a mama masculina dita “normal” é formada de tecido gorduroso e uma incipiente glândula mamaria.
As situações em que o aumento mamário ocorre só à custa do aumento da gordura correspondem a uma falsa ginecomastia, ou pseudoginecomastia.
Verifica-se que, numa importante percentagem da população masculina (35%), a glândula mamaria acaba por se desenvolver. Os picos de aumento mamário ocorrem na adolescência (64%) e nos idosos (40 a 60%). A ginecomastia pode relacionar-se com situações fisiológicas, com doenças, com fármacos e também pode ser idiopática, ou seja, não ter uma causa aparente. Não está (ao contrário do que muitos homens temem) associada ao risco aumentado de cancro da mama no homem. Em qualquer uma das situações, o que se verifica é uma alteração hormonal (aumento das hormonas femininas ou diminuição das hormonas masculinas) em circulação. Devido à diversidade de causas, a avaliação médica destes pacientes deve ser abrangente.
Salvo os casos em que se identifica uma causa tratável com medicamentos, a resolução da ginecomastia é cirúrgica. A técnica vai depender do volume da mama e da presença ou não de excesso de pele. Quanto maior a mama e maior o excesso de pele maiores serão as cicatrizes.
 
 
 
 
 
 
 
Tire as suas Dúvidas
 
Peça mais Informações aqui
 
Preencha este formulário e entraremos em contacto consigo.
 
*
 
*
 
*
 
*